Fiat uno é considerado o carro da classe trabalhadora:

m

image

O fiat uno é considerado um  modelo precursor de carro popular.
Carro popular é uma categoria de automóveis que tem como púbico-alvo consumidores das classes trabalhadoras, e que é distinguida principalmente no contexto brasileiro. A noção tem origem no conceito de Fordismo, com a idéia de “carro para as grandes multidões”, em que o próprio operário da fábrica de automóveis era um cliente em potencial.[1]

Elogiado, criticado, discutido e polêmico, o carro popular ajudou empresas automobilísticas a superarem crises internas e externas e foi usado por governos como elemento de impulsão da economia. Enfrentou as dificuldades da economia brasileira, assim como sofreu ou beneficiou-se com aumentos e diminuições no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Nos anos 1990, o motor de 1000cc foi o carro-chefe das grandes montadoras, e o Brasil se transformou em plataforma mundial de desenvolvimento de carros compactos (embora o motor 1000 continue usado exclusivamente no mercado doméstico).[2]
http://wikipedia.org

Lula se ‘sentiu’ preso.

(foto: Reprodução/TVT )
image

O ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva classificou como “lamentável” a ação da Polícia Federal nesta sexta-feira pela 24ª fase da Operação Lava-Jato. “É lamentável que uma parcela do Poder Judiciário brasileiro esteja trabalhando em associação com a imprensa”, disse. Segundo ele, na manhã de hoje “se sentiu prisioneiro” ao ser acordado por “vários delegados” da Polícia Federal. Ele voltou a dizer que “não vai abaixar a cabeça” e que não recebeu recursos irregulares. “Se a Polícia Federal, o Ministério Público ou quem quer se seja, encontrar qualquer real na minha conta (de corrupção) eu não mereço ser desse partido”, afirmou, dizendo que vai correr o país. “Eu me sinto ofendido, porque não precisava disso, eu me senti ultrajado”. O pronunciamento ocorreu na sede do PT, em São Paulo.

Se o juiz (Sérgio) Moro quisesse me ouvir, bastaria mandar um ofício que eu iria, como sempre fui”, disse em crítica direta ao delegado da Polícia Federal que conduz as investigaçõesda Lava-Jato, em Curitiba, no Paraná.